Os planos da CPI da Covid para driblar o procurador-geral

Integrantes da comissão no Senado buscam formas de tentar punições na Justiça que não dependam da iniciativa de Augusto Aras, cuja atuação é criticada por causa de seu alinhamento a Bolsonaro

    A poucos dias de votar seu relatório final em meio a discordâncias sobre o teor do documento , a CPI da Covid no Senado discute também o que fazer para que as investigações tenham resultados judiciais. O nome do procurador-geral da República, Augusto Aras, aparece como principal obstáculo.

    Aras foi reconduzido para um segundo mandato à frente do Ministério Público Federal em setembro e vem tendo sua gestão marcada por alinhamento ao governo federal. Por isso, a ideia da CPI é tentar contorná-lo, apesar de especialistas em direito alertarem que se trata de uma tarefa complicada juridicamente.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.