O que sobra da pretensa frente ampla pelo impeachment

Com a viabilidade de um processo por crime de responsabilidade contra Bolsonaro cada vez mais distante, setores diversos da oposição priorizam as eleições de 2022. Leia análises sobre a atual conjuntura

    Embora conversas sobre a criação de uma frente ampla para derrubar Jair Bolsonaro tenham dominado o debate político ao longo de 2021, sua concretização sempre enfrentou entraves, seja pela falta de apoio no Congresso, seja pelos interesses particulares dos diversos setores da oposição. A menos de um ano das eleições presidenciais, a pretensa frente parece cada vez mais distante.

    Depois de ter feito seu mais duro ataque às instituições em 7 de setembro, Bolsonaro recuou nas ameaças ao Supremo Tribunal Federal na tentativa de arrefecer a pressão sobre seu mandato. As mobilizações de rua da oposição mostraram a desunião entre direita e esquerda. E os atores dos dois espectros não se entendem entre si.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.