Proxalutamida: as violações em pesquisas na pandemia 

Unesco diz que teste com o medicamento em pacientes no Amazonas que registrou 200 mortes pode ser uma das mais graves infrações éticas em estudos clínicos na história da América Latina

A Rede Latino-Americana e Caribenha de Bioética da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) divulgou no sábado (9) uma nota em que manifesta “profunda preocupação” com as denúncias de possíveis irregularidades em um estudo realizado em Manaus, em pacientes com covid-19, com o medicamento proxalutamida. Ao todo, 200 voluntários morreram.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.