Por que as offshores de Guedes e Campos Neto levantam suspeitas

Consórcio de imprensa mostra que gestores da política econômica tinham empresas milionárias no exterior. O ‘Nexo’ explica por que há possibilidade de conflito de interesses

    O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, têm empresas em paraísos fiscais no exterior. É o que revelaram documentos acessados pelo ICIJ (Consórcio de Jornalistas Investigativos, na sigla em inglês) divulgados no domingo (3).

    A descoberta levanta suspeitas sobre possível conflito de interesses nas atuações de Guedes e Campos Neto. No caso do ministro da Economia, há ainda o agravante de que a empresa permanece ativa – o presidente do Banco Central desativou sua companhia em agosto de 2020, após um ano e meio no cargo.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.