Os rumos da antiga sede do DOI-Codi em São Paulo

Ação movida pelo Ministério Público propõe a criação de um centro de memória no local, que hoje abriga uma delegacia de polícia

    O destino dos prédios que serviam como sede paulista do DOI-Codi (Destacamentos de Operações de Informações - Centros de Operações de Defesa Interna), principal órgão de repressão política da ditadura militar (1964-1985), foi colocado em discussão por uma ação movida pelo Ministério Público de São Paulo contra o governo do estado.

    O Ministério Público propõe transformar o complexo de quatro edifícios em um centro de memória às vítimas dos sequestros, torturas e assassinatos cometidos pelo DOI-Codi. O governo estadual se opõe à ideia, em especial devido ao fato de um dos prédios funcionar atualmente como a 36ª Delegacia de Polícia da capital. Os outros três prédios estão praticamente desocupados.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.