Por que Bolsonaro atribui ao STF crises que ele mesmo produz

Pesquisadores das áreas de antropologia, ciência política e análise do discurso falam ao ‘Nexo’ sobre a estratégia presidencial de dizer que são os outros Poderes que ‘esticam a corda’ institucional

    Jair Bolsonaro disse na sexta-feira (3) que as manifestações a favor de seu governo previstas para o dia 7 de setembro, Dia da Independência, devem funcionar como “um ultimato” a ministros do Supremo Tribunal Federal. Os alvos são Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso. O presidente convocou seus apoiadores a participar dos atos, que devem reunir bolsonaristas com pautas antidemocráticas sob a bandeira da “liberdade de expressão”.

    Bolsonaro deu a declaração ao participar de uma inauguração no sudoeste baiano. Durante o evento, também ameaçou reagir a medidas consideradas por ele como “inconstitucionais”. Segundo pesquisadores ouvidos pelo Nexo, as falas reforçam um estilo retórico do presidente de distorcer fatos ao argumentar que a ruptura institucional parte de outros Poderes, e não do Executivo.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.