Os atos de 7 de setembro entre mobilizações e contenções

Enquanto bolsonaristas buscam emplacar discurso da ‘liberdade de expressão’, Supremo, governadores e Ministério Público nos estados agem para frear radicalização e evitar confusão com PMs

    Os atos marcados por apoiadores de Jair Bolsonaro para 7 de setembro, Dia da Independência, contam pela primeira vez com o apoio escancarado de setores das polícias militares. O fato desperta preocupação diante do flerte presidencial com a ruptura institucional e dos riscos de violência nas ruas.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.