Quais as pressões em torno da votação do marco temporal

Em meio a crise institucional, Bolsonaro faz campanha por tese defendida por ruralistas, enquanto milhares de indígenas se mobilizam contra limitação nas demarcações de terras em análise no Supremo

    O Supremo Tribunal Federal deve retomar nesta quarta-feira (1º) o julgamento do recurso que discute se o marco temporal defendido por ruralistas para a demarcação de terras indígenas é ou não compatível com a Constituição.

    A decisão do tribunal valerá para todos os processos de demarcação e conflitos judiciais que envolvem disputas por essas áreas no país. Os ministros vão analisar o tema depois da maior mobilização feita pelos indígenas em Brasília desde a Constituinte e num momento em que o presidente Jair Bolsonaro, defensor da tese do marco temporal e contrário a qualquer demarcação de novas terras, tensiona a relação entre Executivo e Judiciário.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.