PM e bolsonarismo: quais os limites legais dessa relação

Policiais usam redes sociais a fim de convocar agentes de segurança para os protestos governistas de 7 de setembro. Presidente amplia sua influência na categoria, com quem tem afinidades ideológicas

    Policiais militares da ativa e da reserva têm se organizado para participar dos protestos marcados para o Dia da Independência, em 7 de setembro, em apoio ao presidente Jair Bolsonaro. A iniciativa preocupa as autoridades devido aos riscos de atos violentos. Na segunda-feira (23), os governadores assinaram um compromisso de que as PMs continuarão agindo de acordo com a Constituição.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.