As reivindicações da greve dos streamers brasileiros

Criadores de conteúdo pedem melhores repasses por parte de plataforma de propriedade da Amazon

Cerca de 3.000 streamers brasileiros farão uma paralisação de suas atividades na segunda-feira (23). A mobilização – inédita no mundo – tem como objetivo reivindicar melhores condições de remuneração para esses profissionais por parte da Twitch, principal plataforma do mercado, de propriedade da Amazon. Durante toda a segunda-feira (23), os aderentes vão deixar de fazer lives mostrando suas jogatinas.

Neste texto, o Nexo explica as reivindicações dos streamers, os debates sobre a economia de criadores de conteúdo e por que a paralisação chama a atenção de um ponto de vista ideológico.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.