Por que crianças com deficiência não ‘atrapalham’ a escola 

Ministro da Educação critica o que chamou de ‘inclusivismo’ e defende ampliação de turmas e instituições especiais. Estudos indicam que inclusão traz benefícios acadêmicos e sociais para alunos

    O ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou nesta quinta-feira (19) que, em alguns casos, crianças com deficiência tornam a convivência nas escolas “impossível”. Em entrevista a programa da TV Brasil, em 9 de agosto, ele já havia dito que a inclusão do grupo em instituições regulares “atrapalha” o aprendizado de outros alunos. Na terça-feira (17), reiterou que essas crianças “criam dificuldades”.

    As declarações, rechaçadas por organizações de defesa de pessoas com deficiência, foram feitas enquanto Ribeiro criticava o que chama de “inclusivismo” na educação. O governo federal defende classes e escolas especializadas para crianças com deficiência, separadas de instituições tradicionais e das outras turmas de alunos.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.