Por que a ideia de semipresidencialismo reaparece no Brasil

Regime que reúne elementos do parlamentarismo e presidencialismo retorna ao debate enquanto Congresso discute propostas de reforma política

    A ideia de acabar com o presidencialismo e instituir no Brasil um regime semipresidencialista voltou a ser aventada em julho de 2021 por figuras importantes do Legislativo e do Judiciário. A ideia em si não é nova, mas a articulação em torno dela tem dado sinais de força.

    O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e os ministros do Supremo Luís Roberto Barroso e Gilmar Mendes estão entre os entusiastas da proposta. Lira tenta incluir a mudança num pacote de reformas políticas mais amplas, sob a promessa de que a alteração na forma de governo só passaria a valer a partir de 2026.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.