Quais questões guiam o inquérito de prevaricação contra Bolsonaro

PF abre investigação para apurar suspeita de que presidente soube de irregularidades no caso Covaxin mas não tomou providências. Mandatário se defende dizendo que crime não se aplica a seu cargo

    A Polícia Federal abriu nesta segunda-feira (12) um inquérito para apurar se o presidente Jair Bolsonaro cometeu prevaricação no caso Covaxin, que envolve suspeitas de irregularidades na aquisição da vacina indiana pelo governo federal.

    Com o inquérito instaurado, a PF poderá realizar ações já pedidas pela Procuradoria-Geral da República, como ouvir Bolsonaro e testemunhas, entre outras. É o segundo inquérito contra o presidente, investigado desde abril de 2020 por suspeitas de interferência ilegal na PF. Alvo da CPI da Covid no Senado, Bolsonaro tem visto sua popularidade cair, em meio a outras apurações que têm mirado integrantes do governo, inclusive para apurar suspeitas de corrupção.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.