Caso Marielle: quais os efeitos de tantas trocas de investigadores

Em julho de 2021, promotoras e delegado responsáveis foram mudados. O ‘Nexo’ conversou com especialistas para entender quais podem ser as consequências da falta de continuidade das equipes

    As promotoras Simone Sibilio e Letícia Emile, que investigavam o homicídio da vereadora Marielle Franco (PSOL) e seu motorista Anderson Gomes, ocorrido em março de 2018, pediram para deixar o caso. O pedido de exoneração foi confirmado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro no sábado (10). Ainda não está claro quem substituirá a dupla.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.