Como o pedido de impeachment amplo reforça a ação da oposição

Partidos, entidades, lideranças sociais e políticos da esquerda à direita assinam documento contra o presidente Jair Bolsonaro que lista 23 crimes de responsabilidade

    Representantes de diferentes partidos, parlamentares, lideranças sociais, coletivos e movimentos populares apresentaram na quarta-feira (30) um novo pedido de impeachment contra Jair Bolsonaro. O documento, batizado de “superpedido de impeachment”, reúne e atualiza fundamentações das mais de cem tentativas apresentadas anteriormente contra o presidente. São listados no “superpedido” 23 crimes de responsabilidade atribuídos ao mandatário.

    A nova tentativa de depor Bolsonaro reúne representantes de um espectro político amplo, da esquerda à direita. O “superpedido” chega num momento de aumento de pressão sobre o presidente, seja da CPI da Covid no Senado, que avança na coleta de evidências de ações negacionistas que ajudaram a agravar a pandemia, seja de revelações da imprensa, que apontam suspeitas de cobrança de propina em contratos para a compra de vacinas.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.