Privatizar a Eletrobras é uma boa ideia ou não para o país?

Congresso aprova projeto que autoriza repasse do controle da estatal, mas texto terá de ser analisado de novo por deputados. Especialistas do setor citam argumentos favoráveis e contrários à medida

O Congresso concluiu a aprovação da medida provisória que autoriza a privatização da Eletrobras na segunda-feira (21). O texto prevê que seja feita uma capitalização da Eletrobras. Ou seja, a empresa irá vender novas ações para agentes privados na bolsa de valores, diluindo a participação do governo federal até que ele deixe de ser o acionista majoritário.

Há também os chamados “jabutis” (medidas estranhas ao tema central da proposta). Um deles é a obrigação do governo contratar quantidades fixas de energia de usinas termelétricas movidas a gás natural – fonte cara e poluente. Empresas dizem que isso vai encarecer a conta de luz. O governo diz que a privatização vai barateá-la.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.