A plataforma sobre ações de doação de máscaras PFF2

Iniciativa criada por voluntários do Rio de Janeiro incentiva pessoas a contribuírem para projetos que distribuem equipamentos de proteção nas periferias

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    A plataforma “Onde tem máscara” busca conectar organizadores de iniciativas de doação de máscaras do tipo PPF2 ou N95, consideradas as melhores para proteger contra o novo coronavírus, com pessoas que desejam colaborar com as ações.

    Criada por voluntários do Rio de Janeiro, a iniciativa mostra informações sobre ações de doação organizadas em 15 cidades do país. Em todos os casos, o objetivo das ações indicadas é fornecer máscaras às populações das periferias.

    A plataforma afirma que “viabilizar e conscientizar sobre o uso da PFF2/N95” uniu os criadores do projeto na “tentativa de atenuar danos, acolher pessoas e ajudar a proteger vidas”, especialmente de quem, por falta de dinheiro ou informação, não tem acesso às máscaras.

    Por que usar máscaras N95 ou PFF2

    O que são essas máscaras

    Usadas desde o início da pandemia, as máscaras servem para isolar o sistema respiratório do usuário do ambiente externo, o que ajuda a combater doenças infecciosas. Em formato de concha ou de “bico de pato”, os equipamentos do tipo N95 e PFF2 são produzidos de forma industrial, costumam ter material resistente (em comparação com o tecido) e elásticos em volta da cabeça.

    Por que elas são melhores

    Máscaras do tipo PFF2 ou N95 se diferenciam de outros tipos de máscara (como as de tecido ou de TNT) por apresentarem melhor capacidade de filtrar o ar inalado, protegendo quem as usa de se infectar. Estudo da USP mostrou que elas têm capacidade de filtrar de 90% a 98% das partículas do novo coronavírus. Essas máscaras também têm melhor vedação — ou seja, elas não têm “buracos” que deixam o ar entrar entre o rosto e a máscara.

    Como usar essas máscaras

    Diferentemente das máscaras de pano, as do tipo N95 ou PFF2 são descartáveis — e não devem ser lavadas —, mas podem ser reutilizadas enquanto seu material estiver íntegro. Especialistas recomendam comprar mais de uma máscara e esperar um intervalo de três dias até usar a mesma de novo. Embora, na pandemia, algumas máscaras tenham encarecido, a maioria pode ser encontrada a preços populares em lojas de produtos hospitalares e materiais de construção.

    Como funciona o site

    É possível navegar pelo site, encontrar uma iniciativa de doação que interesse e entrar em contato com seus organizadores por meio dos dados fornecidos pela plataforma. Os grupos de doação também disponibilizam dados bancários para quem quiser contribuir em dinheiro.

    Quem coordena iniciativas de doação de máscaras pode cadastrar seu projeto no site. Em uma página, a plataforma também dá dicas para quem quer organizar um projeto do tipo em sua cidade, mas não sabe como começar.

    “Existem muitos jeitos de colaborar para que mais brasileiros tenham acesso a máscaras PFF2. O principal deles é a cobrança pública para que os poderes Executivo e Legislativo nacional e locais façam valer o preceito constitucional da saúde como direito de todos e dever do Estado. Mas, quando esses falham, a sociedade civil pode e deve agir”, diz o site.

    O projeto foi criado pelo designer Leonardo Demiéssi e pela pesquisadora em políticas de saúde Nathalia Ribeiro, que antes de criarem a plataforma haviam fundado iniciativas de distribuição de máscaras no Rio. Também faz parte do projeto a loja virtual Baixada da Máscara.

    A plataforma afirma que não participa das iniciativas de doação que divulga — a não ser as duas tocadas pelos fundadores do “Onde tem máscara”. Os usuários com dúvidas sobre o trabalho de alguma iniciativa divulgada deve entrar em contato diretamente com ela, segundo o site.

    Outras iniciativas sobre máscaras

    Iniciativas criadas durante a pandemia nas redes sociais buscam informar às pessoas sobre o uso de máscaras do tipo PPF2 ou N95, e algumas delas fazem indicações de onde é possível encontrá-las por bons preços em lojas de todo o país.

    O perfil Qual Máscara? (@qualmascara) no Twitter, Facebook e Instagram traz informações atualizadas e baseadas em estudos científicos sobre as proteções faciais que as pessoas têm usado para reduzir o contágio pelo novo coronavírus.

    Com imagens, vídeos e textos curtos em linguagem acessível, a página informa sobre o uso correto de máscaras, as diferenças entre os modelos, as formas de transmissão do novo coronavírus e outras medidas de prevenção da covid-19. A conta também refuta desinformação sobre a pandemia.

    Para facilitar o acesso a esses equipamentos na pandemia, os perfis no Twitter @estoque_pff e @PFFparaTodos — que juntos fazem parte do projeto PFF para Todos — mostram onde encontrar máscaras do tipo PFF2 baratas e de qualidade, divulgando promoções e reposições dos produtos em lojas online e físicas por todo o país.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.