Um Big Mac feito do zero, com seus 54 ingredientes

Vídeo é o primeiro da série Fast Food Chemistry, que vai mostrar como são feitos os principais itens das redes de fast food

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. Este conteúdo é exclusivo para nossos assinantes e está com acesso livre como uma cortesia para você experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Apoie nosso jornalismo. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

O Big Mac é o sanduíche mais famoso do mundo. O carro chefe do McDonald’s está presente em todos os países em que a rede opera, com exceção da Índia, onde o consumo de carne de vaca é ilegal em muitas cidades. Globalmente, são vendidos cerca de 2,4 milhões de Big Macs por dia.

Embora o jingle do McDonald’s diga que o Big Mac traz “dois hambúrgueres, alface, queijo, molho especial, cebola e picles em um pão com gergelim”, o sanduíche traz mais ingredientes em sua composição: 54, ao todo. Cloreto de cálcio, xarope de milho concentrado e sorbato de potássio são alguns dos componentes presentes dentro de um Big Mac.

O site de notícias Business Insider decidiu mostrar como um Big Mac é feito do zero, colocando o jornalista e apresentador Harry Kersh no papel de químico para fazer os pães, os hambúrgueres, o queijo e o molho do sanduíche. O vídeo está em inglês, mas conta com legendas geradas automaticamente pelo YouTube.

O vídeo é o primeiro da série Fast Food Chemistry, que vai mostrar como são feitos os principais itens das redes de fast food, explicando a intrincada química por trás deles. Novos episódios serão lançados mensalmente.

A origem do Big Mac

O carro chefe do McDonald's foi criado em 1967, por Jim Delligatti, dono de um restaurante franqueado em Pittsburgh, na Pensilvânia.

Originalmente batizado de The Aristocrat (O aristocrata, em livre tradução), o sanduíche foi rebatizado como Big Mac por ordem do time de marketing da empresa.

Vendo o sucesso local do Big Mac, o lanche passou a ser vendido em toda a cadeia de restaurantes em 1968, logo se tornando uma mania nacional nos EUA e sendo exportado para outros países.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.