As cortinas de fumaça de Bolsonaro quando está sob pressão

Em primeira semana de depoimentos na CPI da Covid, presidente ataca a China e o Supremo. O ‘Nexo’ falou com especialistas sobre seu padrão de comunicação em períodos de pressão

    Na primeira semana de depoimentos da CPI da Covid, o presidente Jair Bolsonaro desferiu ataques à China, ameaçou editar decreto contra medidas restritivas adotadas por prefeitos e governadores e deu declarações que foram lidas como um recado ao Supremo Tribunal Federal. As falas repetem um padrão do mandatário de reagir com virulência em momentos em que está sob pressão.

    A CPI da Covid no Senado apura, entre outros pontos, a gestão do governo federal na pandemia. As investigações podem culminar em sugestões de indiciamento ou embasar pedidos de impeachment contra o presidente, além de desgastá-lo politicamente. As informações colhidas até o momento dão munição à visão de que a conduta do governo no combate à covid-19 foi marcada por omissões e pressões por medidas ineficazes.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.