O que Aleksandar Mandic fez para a internet brasileira

Morto aos 66 anos em meio a tratamento de leucemia, empresário foi pioneiro da exploração comercial da rede e da cultura digital do país

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. Este conteúdo é exclusivo para nossos assinantes e está com acesso livre como uma cortesia para você experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Apoie nosso jornalismo. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Morreu na quinta-feira (6) o empresário Aleksandar Mandic, um dos pioneiros da internet e da cultura digital no Brasil. Ele tinha 66 anos e vinha lutando contra uma leucemia.

    Com mãe bielorrussa e pai sérvio, Mandic se interessou por tecnologia na adolescência. Na década de 1970, começou a trabalhar no departamento de automação industrial da filial paulistana da empresa alemã Siemens.

    Mandic, contudo, se destacou na área da computação pessoal a partir de 1990, quando criou o Mandic BBS, uma espécie de proto-internet quando a internet verdadeira sequer estava disponível no país.

    Em 2000, foi um dos fundadores do Internet Group, o iG, negócio que fundou ao lado do publicitário Nizan Guanaes e do jornalista Matinas Suzuki Jr. Ele deixou o negócio um ano depois.

    A última empreitada de Mandic foi a criação do aplicativo Mandic Magic em 2013. Atualmente conhecido como Wi-Fi Magic, o app reúne senhas de internet de locais de acesso público, como restaurantes, bares e shoppings, a partir de um banco de dados criado pelos próprios usuários.

    O que eram os BBS

    Aleksandar Mandic ganhou destaque entre os entusiastas de tecnologia na década de 1990 com a Mandic BBS.

    BBS é sigla para Bulletin Board System (Sistema de Quadro de Avisos, em livre tradução). Eles eram uma espécie de proto-internet, em um momento em que a web propriamente dita ainda não estava disponível comercialmente no Brasil.

    Em um BBS, o usuário tinha acesso a quadros de avisos que traziam notícias, piadas, discussões entre usuários e mensagens no geral, uma mistura “a vapor” de rede social, fórum, portal de notícias e blog – só que sem todos os recursos multimídia com que estamos acostumados hoje em dia. Veja, no vídeo abaixo, o funcionamento de um BBS.

    A conexão dos BBS era feita por meio da linha telefônica, o que gerava altos custos e uma velocidade baixa.

    A internet de verdade chegou ao Brasil em 1995. Mandic foi um dos pioneiros a explorar comercialmente a novidade, com a Mandic Internet, uma das primeiras empresas provedoras de acesso à rede no país.

    Com o passar dos anos, a Mandic Internet foi se modificando, indo de provedor de acesso – ideia que foi descartada com a chegada da banda larga – a serviço de e-mail. A empresa foi vendida em 2012 para o fundo de investimento Riverwood Capital por US$ 100 mihões.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.