A testagem gratuita e constante na reabertura da Inglaterra

Plano para retomada da economia prevê intenso monitoramento dos cidadãos. Projeto piloto exige ‘passaporte covid-19’ de quem quiser frequentar eventos públicos

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. Este conteúdo é exclusivo para nossos assinantes e está com acesso livre como uma cortesia para você experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Apoie nosso jornalismo. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

O governo da Inglaterra anunciou nesta segunda-feira (5) que vai oferecer testes de covid-19 a todos os seus cidadãos, duas vezes por semana. Os testes serão gratuitos e estarão disponíveis a partir de 9 de abril em postos específicos e farmácias ou poderão ser enviados pelo correio para a casa das pessoas. As medidas valerão só para o território inglês, já que os outros países do Reino Unido – Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte – contam com programas próprios de testagem.

Os testes são do tipo fluxo lateral (parecidos com teste de gravidez) e fornecem resultados em 30 minutos. A pessoa deve colher o material da sua garganta, perto das amídalas, ou do nariz, usando um cotonete, a exemplo do teste PCR. O governo pede que o resultado seja comunicado o mais rápido possível, qualquer que seja, e em no máximo 24 horas.

A intenção do governo é monitorar a circulação do novo coronavírus e suas variantes à medida que atividades e serviços vão sendo retomadas no país. Até 3 de abril, 46,3% da população britânica já tinha recebido pelo menos uma dose da vacina (os que foram imunizados de forma integral, com as duas doses, totalizavam 7,9% na mesma data).

De acordo com o cronograma de reabertura do governo, áreas externas de pubs, comércio não essencial, cabeleireiros e academias poderão abrir em 12 de abril, na chamada Fase 2. Crianças poderão frequentar qualquer tipo de atividade interna. Na fase seguinte, grupos de até 30 pessoas poderão se encontrar, pubs e restaurantes terão permissão para receber clientes em áreas internas, teatros e cinemas externos poderão reabrir e shows com público limitado serão autorizados.

As limitações do programa

Alguns cientistas questionaram a eficiência do plano de testagem por causa da possibilidade de falsos negativos nos testes de fluxo lateral. De acordo com um estudo de março de 2021, esse tipo de exame é melhor para detectar a covid-19 em pessoas com sintomas (média de 72% de acerto) do que naqueles sem nenhum sinal da doença (58% de acerto, em média). A pesquisa também observou uma diversidade de resultados em testes de marcas diferentes.

O governo britânico propôs também um controverso programa piloto de “passaportes covid-19” em eventos públicos. O nome é dado a um certificado que comprova a imunização de seu dono, seja por vacina ou por ter anticorpos. No entanto, alguns dos locais anunciados como parte do programa, incluindo um clube de comédia e um clube de bilhar, negaram a exigência do certificado depois de receberem críticas do público.

A proposta do certificado foi bastante criticada por mais de 70 deputados no Parlamento britânico. Muitos acreditam que a exigência do documento criará um ambiente discriminatório e policialesco no país.

Em 3 de abril, o total de mortes por covid-19 na Inglaterra era de 112 mil pessoas. Desde 22 de janeiro, quando o Reino Unido registrou o recorde diário de mortes de 1.401, os números da doença vem caindo. Em 4 de abril, houve dez óbitos por causa da doença em todo o país.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.