Quais perfis seguir para achar as melhores máscaras contra covid

Contas nas redes sociais ensinam sobre a eficácia de cada tipo de equipamento e divulgam promoções de produtos a preços acessíveis 

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. Este conteúdo é exclusivo para nossos assinantes e está com acesso livre como uma cortesia para você experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Apoie nosso jornalismo. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

O perfil Qual Máscara? (@qualmascara) no Twitter, Facebook e Instagram traz informações atualizadas e baseadas em estudos científicos sobre as proteções faciais que as pessoas têm usado para reduzir o contágio do novo coronavírus.

Com imagens, vídeos e textos curtos em linguagem acessível, a página informa sobre o uso correto de máscaras, as diferenças entre os modelos, as formas de contágio pelo novo coronavírus e outras medidas de prevenção da covid-19. A conta também refuta desinformação sobre a pandemia.

Segundo a descrição da página no Instagram, o perfil busca transmitir de forma clara “as formas de proteção mais alinhadas com as evidências científicas” e “auxiliar uma escolha informada” das máscaras em meio à grande quantidade de informação sobre as medidas de prevenção.

Os posts mostram, por exemplo, as diferenças entre as máscaras de pano, recomendadas para uso geral no início da pandemia, e as máscaras cirúrgicas do tipo N95 ou PFF2, que são mais eficientes para filtrar as partículas do novo coronavírus no ar. Em países como Alemanha, França e Áustria, governos passaram a exigir o uso das máscaras médicas.

“No início da pandemia, vivemos uma escassez de máscaras cirúrgicas, e a recomendação era optar por máscaras de pano para uso geral. Agora que sabemos mais sobre a transmissão do vírus e temos mais disponibilidade de boas máscaras a preços mais acessíveis, outras opções devem ser incentivadas”, diz o perfil em post no Instagram.

O perfil se refere à transmissão do novo coronavírus por aerossóis, partículas suspensas no ar. Enquanto no início da pandemia acreditava-se que o vírus se transmitia apenas pelo contato com secreções — como gotículas de saliva expelidas na fala, tosse, espirro, ou com toque ou aperto de mão —, hoje se sabe que ele se transmite pelo ar.

Os aerossóis são produzidos com mais facilidade, até mesmo ao respirar. Por serem mais leves que as gotículas, podem ser carregados por correntes de ar por longas distâncias. Com a comprovação desse tipo de transmissão, aumentou a importância de medidas como o uso adequado de máscaras e a ventilação de espaços fechados.

A preocupação com o uso correto de máscaras também cresceu com o surgimento de novas variantes mais transmissíveis do novo coronavírus, como a P.1, que foi identificada pela primeira vez no fim de 2020 na cidade de Manaus (AM), uma das mais atingidas pela segunda onda da covid-19 no país. Hoje, a variante está em ao menos 17 estados.

Criado em dezembro de 2020, o Qual Máscara? é atualizado por Beatriz Klimeck, que é antropóloga, mestre e doutoranda em saúde coletiva, e por Ralph Holzmann, administrador público, fotógrafo e gestor de mídias sociais. Em textos publicados no perfil, os dois dizem que sua motivação para lançar a página foi a falta de acesso à informação sobre o tema.

“Estava acompanhando as informações mais atualizadas sobre o uso de máscaras para proteger a mim e a minha família, e percebi que a maioria das instruções ainda se baseava em informações desatualizadas sobre as formas de contágio”, afirma Beatriz Klimeck em depoimento divulgado na página do Instagram.

Embora aponte os benefícios do uso de produtos do tipo N95 ou PFF2, o Qual Máscara? também traz informações sobre o bom uso de máscaras de pano. O perfil destaca que não desincentiva o uso de máscaras caseiras para quem não conseguiu adquirir as médicas e que “qualquer máscara é melhor que nenhuma máscara”.

Qual a diferença

Máscaras de pano

Usadas desde o início da pandemia, as máscaras servem para isolar o sistema respiratório do usuário do ambiente externo, o que ajuda a combater doenças infecciosas. A OMS recomenda que as máscaras de pano tenham pelo menos três camadas para garantir boa filtragem. Essas máscaras têm a vantagem de poderem ser lavadas e reutilizadas.

Máscaras do tipo N95 e PFF2

Os equipamentos do tipo N95 e PFF2 se diferenciam das máscaras de pano por apresentarem melhor filtragem e vedação (eles não têm “buracos” que deixam o ar entrar entre o rosto e a máscara). Diferentemente das de pano, essas máscaras são descartáveis, mas podem ser reutilizadas após alguns dias de uso.

Máscaras em promoção

Com o aumento da procura por máscaras do tipo N95 e PFF2 na pandemia, os preços dos equipamentos encareceram. Quando a procura não é tão alta, porém, essas máscaras podem ser encontradas a preços populares em lojas de equipamentos hospitalares e materiais de construção.

Para facilitar o acesso a esses equipamentos na pandemia, os perfis no Twitter @estoque_pff e @PFFparaTodos, que juntos fazem parte do projeto PFF para Todos, mostram onde encontrar máscaras do tipo PFF2 baratos e de qualidade, divulgando promoções e reposições dos produtos em lojas online e físicas por todo o país.

Os preços das máscaras divulgadas nessas páginas podem chegar a no máximo de R$ 10 – em alguns casos, menos de R$ 2. Além de encontrar promoções, os perfis divulgam informações sobre os produtos: como usá-los, quais são suas características, quais as marcas confiáveis e como evitar fraudes.

Os perfis declaram que não vendem produtos nem têm vínculo com as lojas divulgadas. Com frequência, as páginas recebem dicas dos usuários sobre as promoções. O perfil @estoque_pff tem mais de 17 mil seguidores no Twitter e a conta @PFFparaTodos, cerca de 5.600.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.