Cassado ou suspenso? O destino de Silveira no Conselho de Ética

Preso e denunciado à Justiça, deputado responderá a processo disciplinar na Câmara. Histórico é de leniência com casos que envolvem manifestações de parlamentares

    O Conselho de Ética da Câmara, paralisado desde setembro de 2019, marcou para esta terça-feira (23) a abertura de um processo disciplinar contra o deputado bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ). Ele foi preso em 16 de fevereiro por ordem do Supremo Tribunal Federal, depois de publicar um vídeo em que defendeu o rompimento democrático e proferiu agressões e acusações sem prova contra os ministros da mais alta corte do país.

    Em paralelo à acusação judicial de Silveira, o Conselho de Ética da Câmara irá deliberar sobre a possibilidade de puni-lo disciplinarmente, por seus pares. Partidos e a própria mesa diretora da Casa, presidida por Arthur Lira (PP-AL), apresentaram representações contra Silveira. Os processos podem levar a cassação de mandato.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.