O site que oferece um tour virtual na casa de Jane Austen

Iniciativa permite que usuários conheçam imóvel onde a escritora britânica do século 19 escreveu seus romances. Local foi transformado em museu em 1949

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Temas

    Nesta quarta-feira (16), completam-se 245 anos do nascimento da escritora britânica Jane Austen (1775-1817). Autora de clássicos como “Razão e sensibilidade” (1811), “Orgulho e preconceito” (1813) e “Emma” (1816) - que em 2020 ganhou uma nova tradução para o português e uma nova adaptação para o cinema -, Austen goza enorme popularidade entre leitores do mundo.

    Suas obras foram escritas numa casa no vilarejo inglês de Chawton, cerca de 80 quilômetros a sudoeste de Londres. Transformado em 1949 em um museu, o Jane Austen's House recebe anualmente uma legião de fãs da autora, apelidados em inglês de Janeites.

    Desde outubro de 2020 a casa de Austen pode também ser explorada pela internet. Ao acessar a página do museu, o usuário é transportado para o jardim de entrada do imóvel e, a partir dali, pode iniciar um tour virtual de 360º por todos os seus cômodos.

    Para cada ambiente, há uma pequena descrição e um clipe de áudio em inglês que fornecem informações detalhadas sobre a vida da autora e contam as histórias dos objetos ali presentes.

    Para aqueles que buscam uma imersão ainda mais completa no universo de Austen, o museu oferece uma versão guiada do tour virtual. Nela, a visita é acompanhada de uma videochamada com um dos funcionários, que além de apresentar os ambientes do imóvel, responde as dúvidas e curiosidades. Essa versão é paga e é necessário fazer uma reserva no site da instituição.

    As visitas virtuais se somam a outras iniciativas do museu que, desde o início da pandemia do novo coronavírus, em março de 2020, vem oferecendo uma programação especial para os fãs da autora. É o caso da exposição virtual intitulada “Jane Austen’s artful letters” (“As cartas artísticas de Jane Austen'', em tradução livre), através da qual os usuários podem conferir os manuscritos originais de algumas das correspondências que Austen enviou para sua irmã.

    A diretora do museu, Lizze Dunford, disse à revista Smithsonian que, em meio às restrições decorrentes da pandemia, o objetivo da instituição é proporcionar aos fãs da autora uma experiência emotiva e acessível. “O que fizemos foi encontrar outras formas de criar conexões profundamente poderosas com o trabalho de Austen”, afirmou.

    Quem foi Jane Austen

    Filha de uma família abastada de agricultores ingleses, Jane Austen começou a escrever contos e romances ainda na adolescência. Suas obras exploram a sociedade rural inglesa do início do século 19, expondo suas desigualdades e refletindo sobre o papel das mulheres naquela engrenagem.

    Em uma época em que livros de fantasia e aventura conquistavam a preferência do público, Austen optou por enredos mais realistas, desenvolvendo personagens e universos de um cotidiano comum. A autora também é popular pela forma com que usa o humor e a sátira em suas histórias.

    Os romances de Austen só fizeram sucesso após sua morte. Foi uma biografia escrita por um de seus sobrinhos, James Edward Austen, publicada em 1870, que instigou o imaginário dos leitores e os incentivou a buscar as obras da autora.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.