5 ações da sociedade civil para aplacar os efeitos da pandemia

Da aposta em maior autonomia aos atendidos por projetos à geração de renda dentro das próprias comunidades, iniciativas tiveram formatos variados

    Após a decretação da pandemia do novo coronavírus pela OMS (Organização Mundial da Saúde) em março de 2020, o Brasil viveu um boom de doações, destinadas ao enfrentamento da crise sanitária e econômica. No final de maio, o crescimento do volume de dinheiro da filantropia começou a desacelerar. Ao mesmo tempo, por outro lado, o número de pessoas doando, a partir de quantias menores, aumentou.

    A ABCR (Associação Brasileira dos Captadores de Recursos) registrou de maio a agosto de 2020 um salto de quase 44% do número de doadores, num aumento do engajamento de pessoas físicas e da realização de campanhas de crowdfunding. Empresas também criaram ou expandiram seus programas internos de apoio ao voluntariado.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.