O que você aceita quando habilita cookies nos sites

De senhas a comportamentos de navegação, pequenos pacotes de dados são usados para armazenar diversos tipos de informação

Este conteúdo é exclusivo para assinantes. Ele está com acesso livre temporariamente como uma cortesia para você experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos de assinatura. Assine o Nexo.

    Você já deve ter percebido: ao entrar em algum site, uma janela aparece – normalmente na parte inferior da tela – , com um texto que pede sua permissão para que o site armazene cookies.

    Há três opções: aceitar o armazenamento, recusá-lo, ou simplesmente ignorar a mensagem. Mas, afinal, o que são cookies? Abaixo, o Nexo responde essa pergunta, e também te explica por que essas mensagens estão cada vez mais comuns.

    O que os cookies fazem

    Cookies – palavra que pode ser traduzida literalmente como “biscoito” – são pequenos arquivos de informação que armazenam diversos tipos de dados: senhas salvas e a listas de compras em lojas online são alguns exemplos.

    Os cookies transitam entre o seu computador (ou outro dispositivo eletrônico) e o site em questão como um pacote fechado – ou seja, é impossível alterar os dados durante a viagem, um fator importante para a segurança da informação.

    Um mito comum é o de que cookies podem trazer vírus para os computadores. Isso não acontece porque os pacotes de dados são arquivos de texto muito pequenos e que trafegam de forma hermética – ao coletar as suas informações e empacotá-las, o site ou um terceiro não conseguem inserir programas maliciosos.

    Desse ponto de vista, cookies são extremamente seguros. No entanto, caso o site acessado não seja confiável e tenha sido desenvolvido por alguém com más intenções, os dados podem ser roubados. Por isso, o ideal é sempre buscar sites confiáveis e evitar clicar em links suspeitos.

    Existem três tipos principais de cookies:

    • Cookies de sessão: são pacotes de informação que desaparecem após terem sido utilizados, como o carrinho de compras de uma loja online, que fica zerado após a compra ter sido concluída;
    • Cookies de rastreamento: são dados que registram o comportamento do usuário nas múltiplas vezes em que acessou aquele site. O principal uso deles é para o direcionamento de publicidade personalizada com base nas suas buscas e interesses;
    • Cookies de autenticação: são aqueles que armazenam logins e senhas de forma criptografada, para que o site saiba que você é você.

    Os cookies – em especial os de rastreamento – não são estritamente necessários para a navegação. No entanto, podem trazer uma série de facilidades, como não ser obrigado a se lembrar de todas as suas senhas. Sem eles, navegar é possível, mas parte das praticidades são perdidas.

    Caso você não queira nenhum tipo de cookie de rastreamento, basta recusá-los quando o site apresentar a mensagem de permissão. É possível também apagar todos os cookies salvos:

    • Se você usa o Google Chrome, basta clicar nos três pontos presentes na porção superior direita da tela (próximo ao botão de fechar), clicar em Configurações e depois em Privacidade, selecionando Limpar dados de navegação;
    • Se você usa o Mozilla Firefox, clique nas três linhas presentes na porção superior direita da tela (próximo ao botão de fechar), clicar em Privacidade e depois em Limpar dados recentes, selecionando os cookies na janela que vai aparecer;
    • Se você usa o Microsoft Edge, clique nos quatro pontos presentes na porção superior direita da tela (próximo ao botão de fechar), clique em Configurações e depois em Privacidade, pesquisa e serviços, selecionando Limpar dados de navegação agora;
    • Se você usa o Safari, basta clicar no menu Preferências, no alto da tela, clicar em Privacidade e depois em Gerenciar dados de navegação, selecionando a opção Remover.

    Tenha em mente que ao remover os cookies, todas as suas sessões ativas em sites, lojas online e redes sociais serão encerradas e suas senhas removidas. Logo, será necessário realizar todos os logins novamente.

    Por que os avisos de cookies se tornaram mais comuns

    No segundo semestre de 2020, os pedidos de permissão para o armazenamento de cookies se tornaram mais comuns na internet brasileira.

    Isso porque passou a vigorar no país todo a Lei Geral de Proteção de Dados. O texto, que começou a valer em setembro, prevê que sites e outros serviços digitais peçam o consentimento expresso do usuário para o uso de seus dados pessoais de qualquer tipo – o que inclui os cookies.

    Antes da lei, os sites não precisavam necessariamente pedir o consentimento do usuário. Os dados eram armazenados automaticamente, sem o conhecimento do público.

    Com a Lei Geral de Proteção de Dados, qualquer site que usa dados do usuário – independentemente do tipo – precisa apresentar uma mensagem que explica quais dados serão coletados, como eles serão usados e para qual finalidade.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.