A paralisia da Ancine. E seu impacto para o cinema brasileiro

Em dez meses, agência aprovou só um projeto para o Fundo Setorial do Audiovisual, que em dois anos deixou de receber R$ 1,5 bilhão

    Responsável pelo fomento, regulação e fiscalização do audiovisual brasileiro, a Ancine (Agência Nacional do Cinema) vive em novembro de 2020 um momento de paralisia em suas atividades. O principal entrave ocorre no financiamento de projetos da área. Os antigos, onde o dinheiro já foi gasto, não tiveram suas contas avaliadas. Os novos não saem do papel.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.