Como uma mulher denunciante vira acusada num tribunal

Após apontar possível crime, influenciadora é atacada por advogado a partir de elementos morais sob anuência de promotor e juiz, num episódio classificado como ‘tortura e humilhação’ por ministro do STF. Réu é absolvido

    Uma mulher diz ter sido drogada involuntariamente e depois estuprada. Um processo penal que acabou com a absolvição do acusado por falta de provas. No meio de tudo isso, uma audiência judicial em que a denunciante é atacada pelo advogado do réu, a partir de elementos morais, sob anuência do promotor e do juiz do caso.

    A mulher é a influenciadora digital Mariana Ferrer, de 23 anos. O acusado é o empresário André de Camargo Aranha, de 43 anos. O advogado de defesa é Cláudio Gastão da Rosa Filho. O promotor é Thiago Carriço de Oliveira. O juiz é Rudson Marcos.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.