Quais as brechas do estudo sobre uso de vermífugo contra covid

Ministro Marcos Pontes fala em ‘mudar história da pandemia’ a partir de dados obtidos em pesquisa que custou R$ 5 milhões ao governo. Mas especialistas apontam para uma série de falhas nos resultados

O governo federal anunciou em 19 de outubro que um estudo financiado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações havia comprovado que o vermífugo nitazoxanida, comercializado com o nome de Annita, era eficaz no combate à covid-19 por reduzir a carga viral no organismo. O anúncio associava um resultado secundário do estudo para passar a ideia de eficácia. Para especialistas, a conclusão foi precipitada e a pesquisa apresenta falhas.

ASSINE O NEXO PARA
CONTINUAR LENDO

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.