O que é assédio judicial. E por que isso preocupa a imprensa

Série de ações da Igreja Universal contra escritor levanta debate sobre limites entre o direito legítimo de recorrer à Justiça e a intimidação

    Pastores da Igreja Universal do Reino de Deus de todo o país apresentaram desde junho de 2020 mais de 80 ações judiciais contra o escritor João Paulo Cuenca, em razão de uma postagem no Twitter.

    Não é a primeira vez que membros de uma organização nacional promovem em diferentes juizados dezenas de processos contra a mesma pessoa e sobre um mesmo assunto, acendendo um debate: qual o limite entre o exercício legítimo do direito de se recorrer à Justiça e a promoção de uma campanha de intimidação?

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.