Como a Europa lida com o repique da pandemia de covid-19

Diante de segunda onda, chefes de Estado e de governo optam por regionalizar quarentenas, mas encontram resistência de políticos locais

A Europa vive no mês de outubro o maior repique dos casos de covid-19 desde o início da pandemia, no mês de março. Alemanha, Reino Unido, França, Itália e Espanha estão entre os países que voltaram a aplicar medidas restritivas para tentar conter a segunda onda da doença.

Desta vez, no entanto, não foram impostos confinamentos nacionais, chamados em inglês de “lockdown”. A estratégia agora é regionalizar as medidas, de acordo com os índices locais de transmissão do vírus, evitando a pressão sobre a economia nacional como um todo e contendo o desgaste social provocado por políticas de exceção em larga escala.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.