A disputa em torno do auxílio emergencial após sua prorrogação

Parlamentares da oposição e organizações da sociedade civil pedem aumento do valor do benefício. Governo demonstra preferir não tocar no assunto

    A pandemia do novo coronavírus foi decretada em 11 de março de 2020 pela Organização Mundial da Saúde. O isolamento social, apesar de atacado pelo presidente Jair Bolsonaro, era uma medida inevitável para reduzir contaminações e mortes. E foi adotado por governadores e prefeitos. Para atender à população de baixa renda, atingida mais fortemente pela restrição da circulação, Bolsonaro propôs um auxílio emergencial de R$ 200. No Congresso, o valor foi para R$ 600.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.