Quais as propostas para reparação das comunidades do Rio Doce

Estudo mapeia demandas de moradores atingidos pelo rompimento da barragem em Mariana em 2015. Relatos indicam pouca efetividade de ações de compensação prometidas por mineradoras

Um estudo realizado com comunidades da bacia do Rio Doce, atingida em 2015 pelo rompimento da barragem de Fundão, que continha uma grande quantidade de rejeitos de minério de ferro, mostra que os habitantes da região ainda esperam por reparação pelos danos causados pelo desastre, mesmo cinco anos após o evento.

Moradores pedem para ser restituídos com ações e políticas públicas voltadas a trabalho, renda, infraestrutura, saúde e meio ambiente — áreas que, segundo as pessoas ouvidas pela pesquisa, ainda não se recuperaram dos impactos decorrentes da tragédia de 2015, hoje considerada o maior desastre ambiental da história do país.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.