Os erros de Bolsonaro ao falar das queimadas na Amazônia

Em discurso a outros líderes da América do Sul, presidente defendeu sua política ambiental usando dados incorretos e leitura equivocada da influência da umidade da floresta

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu, na terça-feira (11), com líderes da Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Peru e Suriname. Ele discursou na 2ª Cúpula Presidencial do Pacto de Letícia, acordo firmado em 2019 para traçar estratégias e políticas para a preservação da floresta amazônica.

Bolsonaro afirmou em sua fala que o governo brasileiro “age com empenho” para combater os incêndios na floresta. Como já havia feito no passado, alegou ser criticado injustamente pela imprensa e por outros países acerca da atuação do Brasil na questão ambiental. “Essa história de que a Amazônia arde em fogo é uma mentira e nós devemos combater isso com números verdadeiros”, acrescentou.

ASSINE O NEXO PARA
CONTINUAR LENDO

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.