O artista que faz montagens fantasmagóricas no Instagram

Perfil na rede social se baseou em lenda urbana da internet para causar estranheza e desconforto no público

Temas

Gabriel (sobrenome desconhecido) é um artista digital que monta imagens a partir da colagem e da manipulação de duas ou mais fotos. O objetivo: criar artes que despertem medo, estranheza e desconforto em seu público do Instagram.

O artista digital assina como Unworn (não usado, em inglês) na rede social, e publica imagens desde 2016.

A maioria das artes é em preto e branco, e mostra cenários ocupados por sombras, normalmente acompanhadas de olhos brilhantes, que encaram o espectador.

Muitas vezes, Unworn aposta em causar ainda mais estranheza colocando as criaturas em posições angulares ou até mesmo as mostrando flutuando no ar.

Apesar de não deixar explícito, a principal inspiração para a criação das artes de Unworn é a creepypasta – uma lenda urbana surgida na internet – conhecida como “shadow people” (pessoas das sombras, em livre tradução).

A lenda das pessoas das sombras já existia em diversas culturas e religiões, que as descreviam como espectros quase sólidos, manifestações de entidades sobrenaturais no mundo físico.

Na internet, a creepypasta ganhou força em meados dos anos 2000, catapultada pelo programa de rádio americano Coast to Coast AM, criado em 1984 e que começou a ser transmitido online na virada do milênio.

Em abril daquele ano, o Coast to Coast começou a relatar supostos encontros que ouvintes tinham tido com as pessoas das sombras, e logo o assunto começou a pipocar frequentemente no programa e em fóruns de discussão.

Diferentemente de outras lendas urbanas, como a “loira do banheiro”, por exemplo, as pessoas das sombras não seriam criaturas maléficas. Tampouco seriam benéficas. Elas seriam manifestações de seres que simplesmente existem, sem nenhuma intenção em relação aos humanos.

Explicações científicas já foram dadas para os encontros que pessoas afirmam ter tido com as pessoas da sombra. A maioria delas envolve um estado alterado de consciência – após o uso de drogas, ou durante uma crise de paralisia do sono – que teria feito com que os indivíduos vissem as sombras e acreditassem que se tratava de algo sobrenatural.

Na cultura pop, as pessoas das sombras ganharam espaço. Em 2013, o cineasta estreante Matthew Arnold lançou o filme independente “Shadow People”, que gerou certo burburinho entre os fãs de terror, conquistando reações mistas da crítica.

Um ano antes, as pessoas das sombras apareceram no game “Deep Sleep”, desenvolvido pelo estúdio polonês Scriptwelder e bem recebido por especialistas, que elogiaram a atmosfera soturna do jogo.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

Já é assinante?

Entre aqui

Continue sua leitura

Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: