Como fica o prazer sexual quando o isolamento é regra

Na quarentena, vendas de vibradores e outros apetrechos explodiram, contato virtual ganhou mais adeptos e governos chegaram até a recomendar masturbação para evitar o coronavírus

    Dos muitos memes surgidos no Brasil durante a pandemia do novo coronavírus, o “solidão, né minha filha?”, vindo de uma fala do médico Dráuzio Varella, parece o mais onipresente.

    Suas múltiplas versões exprimem uma ampla gama de emoções de quem está em quarentena, incluindo, com frequência, o tesão. Nesse espírito, a “carentena”, junção das palavras carência e quarentena, também passou a fazer parte do léxico dos brasileiros na internet.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.