Como a cloroquina mostra o que há de ciência na prática médica

Debate sobre uso de medicamento sem eficácia contra a covid-19 opõe entidades que representam profissionais. Faculdades cogitam fortalecer ensino sobre evidências científicas

Quase cinco meses após o início da pandemia do novo coronavírus, pesquisadores encontraram evidências científicas de que a cloroquina e sua derivada, a hidroxicloroquina, não funcionam contra a covid-19 e ainda podem fazer mal ao paciente. São essas evidências que deveriam basear o trabalho de médicos, mas manifestações de profissionais e entidades de classe questionando os achados recentes têm mantido o remédio permanentemente em debate e criado confusão sobre seu uso.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.