O novo front da guerra anticientífica do governo Bolsonaro

Tratamento já nos primeiros sintomas da covid-19 usando remédios sem eficácia comprovada ganha adeptos no país. Cloroquina e outros medicamentos são defendidos a partir de evidências anedóticas sem base em pesquisas sérias

Em 29 de junho, o Ministério da Saúde enviou ofício à presidência da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) para “enfatizar a importância do tratamento precoce, ao início dos primeiros sintomas” contra a covid-19, com uso de cloroquina. No documento, a pasta solicita a “ampla divulgação desse tratamento”.

Assinado pelo secretário de Atenção Especializada à Saúde, Luiz Otávio Franco Duarte, o ofício também foi enviado ao INI (Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas) e ao IFF (Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira), ligados à Fiocruz, órgão de pesquisa do governo federal.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.