O site que faz mapas de topografia em 3D

Imagens de satélite e aeronaves são convertidas em modelos digitais que dão contorno a montanhas, cânions, rios e até sistemas de transporte

Mapas de topografia são onipresentes em livros didáticos de geografia. É preciso entender como funcionam as curvas de nível, representadas pelas linhas normalmente acompanhadas de números que indicam a altitude de uma região.

Imagine agora ver essas curvas de nível como elas seriam na vida real só que compreendidos no espaço de um mapa. Essa é a proposta do longitude.one, um site que publica mapas topográficos 3D de várias partes do mundo, incluindo o Brasil, simulando o relevo de cada região.

Além do endereço eletrônico, há uma página no Instagram e outra em um serviço de comércio eletrônico, no qual são vendidos os mapas impressos em alta qualidade. Os responsáveis pelo projeto não se identificam.

Como os mapas são feitos

Primeiro, são coletadas imagens de bases de dado abertas de universidades e governos. Essas informações são jogadas em programas de SIG (Sistema de Informação Geográfica), usados para converter fotografias de satélites e aeronaves em mapas, gráficos e cartogramas digitais.

Por meio desse sistema, por exemplo, é possível criar plataformas como o Google Earth em que o usuário pode navegar por cidades e propriedades inteiras de uma vista aérea.

O SIG então entrega um modelo de elevação digital, que nada mais é do que a representação em 3D das curvas de nível de uma superfície. Assim, softwares como o Photoshop compilam os dados em mapas mais bem acabados, com efeitos de luz e sombra como os vistos no site. Não é um processo automático, até porque cada mapa passa por um tratamento de design final.

No site, os responsáveis dizem se inspirar em artistas como Lee Griggs e Sam Caldwell, que também criam mapas topográficos em 3D, através de outros programas e sensibilidades artísticas. Griggs, por exemplo, tem um estilo que parece simular um mundo futurista ou de fungos. E Caldwell imprime cada uma das curvas de níveis, amontoando-as a mão. Há um vídeo em que ele mostra o processo.

Foto: Divulgação/longitude.one
Mapa com tons amarelados mostrando os diferentes relevos do vulcão
Mapa topográfico 3D do Monte Etna, na Sicília, na Itália

Entre os mapas disponíveis no longitude.one há uma seção para quem deseja explorar as minúcias de montanhas, cânions, rios e até sistemas de transporte dos EUA. Em outra seção, estão os mapas de outras partes do mundo, como Japão e Islândia. Novos mapas vão sendo adicionados com o tempo, e algumas regiões tem um catálogo menor, como a América do Sul e a África. Dos disponíveis, a maior parte deles destaca a geologia do país. No entanto, algumas regiões têm mapas especiais, como um da América do Sul de atividade tectônica.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

Já é assinante?

Entre aqui

Continue sua leitura

Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: