Quais os alertas sobre o projeto de lei das fake news

Para entidades civis e empresas de tecnologia, proposta pode prejudicar direitos fundamentais em nome de um objetivo legítimo. Parlamentares apontam necessidade de ajustes

O projeto de lei que pretende combater as fake news corre o risco de atropelar direitos fundamentais em nome de um objetivo legítimo. É o que dizem organizações que defendem direitos na internet assim como gigantes da tecnologia como Google, Facebook e Twitter.

De autoria do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e dos deputados Tabata Amaral (PDT-SP) e Felipe Rigoni (PSB-ES), o projeto foi batizado de Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet. A votação no Senado está marcada para ocorrer nesta terça-feira (30). Depois, ainda precisará passar pela Câmara.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.