Como ter contato com a natureza, mesmo no isolamento social

Confinamento reduziu acesso a luz do sol, ar fresco e áreas verdes para quem vive nas cidades. Estudos mostram impacto de experiências com o mundo natural para o bem-estar

A pandemia do novo coronavírus, que causa a doença respiratória covid-19, obrigou grande parte das pessoas no país a aderir às recomendações de distanciamento social e se isolar em casa, como forma de evitar o contágio e conter a disseminação do vírus no país.

Ainda que seja positivo do ponto de vista da pandemia, o isolamento e a perda do convívio social podem causar impactos negativos no bem-estar e na saúde mental. Entre os danos do isolamento está a ausência de contato com o ar livre e a natureza, especialmente para quem vive em casas ou apartamentos fechados nas áreas urbanas.

Atualmente, uma série de estudos científicos mostram que a manutenção do contato com o mundo natural – que pode incluir passeios ao ar livre e em áreas verdes, a exposição à luz do sol, etc – tem impactos positivos de longo prazo para o bem-estar individual, além de benefícios para a saúde física.

A pandemia trouxe limitações para parte dessas atividades, como ir ao parque, à praia e a lugares onde costuma haver aglomerações. Autoridades e médicos divergem sobre outros tipos de atividade ao ar livre. Enquanto alguns defendem que sair de casa não é recomendável em qualquer circunstância, outros dizem que é possível ir a espaços abertos, desde que se tome certos cuidados para evitar o contágio.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) orienta as pessoas a manter contato sempre que possível com a luz do sol, pois, mesmo dentro de casa, a prática ajuda a aliviar o estresse na pandemia. Ao ar livre, médicos recomendam tomar sol ou caminhar apenas se a atividade for feita em áreas onde não há aglomeração, a uma distância segura de outras pessoas e com uso de máscara de proteção. Se não for possível fazer nessas condições, fique em casa.

Para driblar as limitações, o Nexo reúne dicas de como se relacionar com a natureza com segurança e sem desrespeitar o distanciamento.

Faça de casa

Ainda dentro de casa, é possível se entreter com atividades simples que fazem lembrar do mundo de fora. Entre elas estão colocar-se sob a luz do sol na janela, deixar-se tocar pelo vento, observar o céu ao longo do dia (procurando mudanças no tempo, por exemplo), acompanhar o crescimento de uma árvore vizinha ou tentar ouvir pássaros e insetos.

Crie novas atividades

Mais que observar o ambiente de dentro de casa, é possível criar novos hobbies que tenham relação com a natureza, como a jardinagem e a plantação de uma horta. A dica vale tanto para quem vive em casas com um grande quintal quanto para quem mora em apartamentos, já que para cultivar um tempero, por exemplo, um pequeno vaso é o bastante.

Use a tecnologia

As pesquisas mostram que, mesmo que não seja possível sair ao ar livre ou se conectar com elementos da natureza dentro de casa, é possível buscar imagens e sons de paisagens naturais usando os meios digitais, como o celular, o computador e a TV. Apesar de não ter o mesmo efeito que presenciar as paisagens ao vivo, a experiência pode ajudar, da mesma forma, a se distrair do estresse.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.