O auxílio emergencial em disputa. E a sua relevância política

Benefício pago pelo governo durante a pandemia tem efeito na popularidade de Bolsonaro. Prolongamento ainda está em discussão e propostas do Congresso e equipe econômica divergem

    O pagamento da última parcela prevista do auxílio emergencial para a pandemia do novo coronavírus será efetuado em junho de 2020. Em discussão no Congresso e no Executivo, a continuidade do benefício se tornou uma disputa política que afeta diretamente a popularidade do presidente Jair Bolsonaro.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.