Qual o tamanho do bolsonarismo dentro das polícias militares

Governo de São Paulo se preocupa com avanço do apoio ao presidente entre agentes. Especialistas avaliam consequências políticas da adesão das tropas ao discurso bolsonarista

    Em 7 de junho, dia em que estavam marcadas manifestações contra o racismo e contra Jair Bolsonaro, um cabo da PM paulista escreveu em uma rede social que queria “cacetar a lomba” de manifestantes “antifas”, abreviação de antifascistas, como se apresentam muitos integrantes nos protestos contra o presidente.

    O cabo Lemos fez a declaração em sua conta do Instagram, em que aparece identificado como policial militar e integrante da Rocam (Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas). “A polícia não compactua com essas atitudes”, afirmou o secretário executivo da PM, coronel Álvaro Batista Camilo, ao jornal O Estado de S. Paulo.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.