Como é a relação entre servidores e o governo Bolsonaro

Entre Guedes e sua base de apoio nos estados e municípios, Bolsonaro impõe congelamento salarial geral, mas só depois que alguns reajustes foram aprovados

    Para ajudar financeiramente estados e municípios no enfrentamento da crise sanitária e econômica provocada pelo novo coronavírus, o governo federal exigiu o que chama de “cota de sacrifício” dos servidores públicos.

    Um projeto aprovado no Congresso e sancionado em 28 de maio pelo presidente Jair Bolsonaro prevê transferência da União de R$ 60,1 bilhões aos governos locais em troca do congelamento do salário do funcionalismo até dezembro de 2021.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.