Como a pandemia impulsiona a fortuna de Jeff Bezos

Patrimônio do bilionário americano cresce com aumento do valor de mercado da Amazon. Empresa expande atividades em meio a denúncias trabalhistas e acusações de práticas de concentração de mercado

    O empresário Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon, pode se tornar o primeiro trilionário da história. É o que disse a consultoria americana Comparisun, em estudo lançado em setembro de 2019, mas que viralizou nas redes sociais em meados de maio de 2020, enquanto a pandemia do novo coronavírus causa estrago em economias ao redor do mundo.

    A metodologia usada no estudo foi de calcular o crescimento médio anual da fortuna das 25 pessoas mais ricas do mundo, e projetá-lo no futuro. Usando dados disponibilizados pela Forbes, a consultoria concluiu que, nos últimos cinco anos, Bezos ficou 34% mais rico a cada ano. Se esse ritmo se mantiver nos próximos anos, o CEO da Amazon será trilionário em 2026, aos 62 anos. Um cálculo do portal americano MarketWatch, que seguiu esse mesmo método mas usou dados atualizados para maio de 2020, mostrou que Bezos talvez tenha de esperar até 2030.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.