Como a desigualdade afeta a disseminação do vírus em São Paulo

Condições de moradia e adesão ao isolamento social determinam diferentes riscos de morte pela doença para cada bairro da cidade que é epicentro da epidemia de covid-19 no Brasil

    Os dados sobre as mortes causadas pelo novo coronavírus na cidade de São Paulo reforçam as desigualdades socioeconômicas da capital paulista e revelam que a população mais vulnerável, em sua maioria negros, é a maior vítima da doença. O vírus chega a ser dez vezes mais letal nas regiões com os piores indicadores.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.