Bolsonaro diante do recorde de mortes na pandemia: ‘e daí?’

No dia em que o Brasil superou o número de mortes da China, presidente diz ‘que não faz milagres’. Adesão da população ao isolamento social começa a cair em meio ao agravamento das contaminações no país

    Jair Bolsonaro foi questionado na terça-feira (28) sobre o número recorde de registros de mortes no país pelo novo coronavírus em um só dia. “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre”, afirmou o presidente, fazendo referência a seu nome do meio.

    A declaração foi dada a jornalistas na porta do Palácio da Alvorada, no dia em que o Brasil computou 474 mortes de pessoas infectadas em 24 horas. Ao todo, são 5.017 mortos, uma realidade que coloca o país acima da China, epicentro inicial da covid-19, doença causada vírus, em número de vítimas fatais na pandemia.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.