Os cuidados com o uso de dados móveis na pandemia, segundo este relatório

Centro de pesquisas Data Privacy Brasil elaborou documento para subsidiar políticas públicas sobre o monitoramento digital da população durante surto do novo coronavírus

    No começo de abril, as principais empresas de telefonia no Brasil – Vivo, Tim, Oi, Claro e Algar, que juntas representam 97,8% do serviço móvel no país – anunciaram que repassariam ao governo federal dados sobre os seus mais de 200 milhões de usuários.

    O anúncio foi feito no dia 2, pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e Serviço Móvel Celular Pessoal do Brasil. Segundo a entidade, todos os dados serão anônimos e puramente estatísticos, seguindo as diretrizes do Marco Civil da Internet e da Lei Geral de Proteção de Dados.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.