Do desdém ao medo: a dolorosa trajetória britânica na pandemia

Um mês depois de ter minimizado o risco de contaminação, Boris Johnson é internado com coronavírus, enquanto rainha faz pronunciamento histórico defendendo medidas de isolamento social

    O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, foi internado no Hospital St. Thomas, de Londres, no domingo (5), dez dias depois de ter sido diagnosticado com o novo coronavírus. Na segunda-feira (6), seus sintomas pioraram e o premiê foi para uma unidade de tratamento intensivo.

    A trajetória do premiê acontece após uma atitude inicial desdenhosa em relação à pandemia. Johnson foi, juntamente com o presidente americano, Donald Trump, e com o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, um dos líderes mundiais que tratou com incredulidade a ameaça do coronavírus, demorando para adotar a quarentena como política pública nacional e atitude pessoal.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.