Por que a pandemia evoca uma economia de guerra

Conceito remete a tempos extraordinários e ao aumento no protagonismo econômico dos governos. Em 2020, países ao redor do mundo estão aumentando gastos públicos

A pandemia do novo coronavírus com frequência tem sido descrita com o léxico bélico. Líderes mundiais dos Estados Unidos, França e Alemanha têm usado a palavra “guerra” para mobilizar o combate contra a covid-19, doença causada pelo vírus. No Brasil, o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) falou em “orçamento de guerra” para classificar os gastos voltados ao combate à pandemia.

Na economia, tempos de guerra costumam exigir esforços extraordinários da população e do governo. Abaixo, o Nexo explica o que é “economia de guerra” e mostra quais paralelos podem ser feitos entre a crise de saúde pública de 2020 e momentos históricos de confrontos bélicos.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.